• Marta Domingos

Conheça a equipa TheVagar: a Produtora de Conteúdo Escrito

Continuamos a dar a conhecer a equipa que todos os dias faz acontecer TheVagar. Hoje fomos ouvir quem materializa o sonho em palavras. Ela é a Cátia Rodrigues, Consultora de Turismo, especializada em Gestão de Carreira. Além da sua vasta experiência no trade, tem-se dedicado, também, ao ensino, à formação e à mentoria dos novos talentos do setor. Acredita que o centro, o coração e a voz desta indústria são as Pessoas e é no desenvolvimento do seu potencial que baseia o seu propósito de vida. Nos seus tempos livres gosta de escrever, ler, nadar, caminhar e interagir com animais.



1. Porque dizes que o Turismo é o amor da tua vida e não uma paixão?

Através do autoconhecimento, pude perceber que sou uma mulher de paixões. E foi isso que me fez sofrer durante muitos anos nesta área. Tive que ressignificar a forma como sentia as coisas. Transformar a paixão em amor é uma arte. Eu consegui fazê-lo com o Turismo: aceitar os seus defeitos e fraquezas, focar nas suas qualidades, ser tolerante, compreensiva e flexível. Só assim foi possível manter o que achava que tinha que libertar. Funcionou.


2. O que mais gostas na vertente da docência/ formação profissional/ mentoria em Turismo?

De aprender. Ensinar é a melhor forma de aprender. Para mim, o estímulo intelectual é absolutamente imprescindível. Nada me dá mais prazer do que partilhar o meu conhecimento, a minha experiência e o meu exemplo, inspirar outros a fazer o mesmo e crescer com isso, enquanto profissional e ser humano.


3. Como começas a escrever para o TheVagar?

A Marta foi a primeira pessoa que conheci quando cheguei à cidade a Seia, em 2002, para fazer a inscrição na faculdade. Iniciava-se ali uma amizade que perdura no tempo, alicerçada no respeito, na admiração e no amor verdadeiro. Sempre trabalhámos juntas em diversos projetos ao longo dos anos e esta união é simplesmente muito natural. A Marta sempre acreditou no meu talento para escrever e a verdade é que, para mim, é relativamente fácil transformar os seus pensamentos em palavras, porque a conheço e acompanho há muito. Tem sido um privilégio e estou muito grata pela confiança que ela e o André têm depositado em mim, mas, acima de tudo, por fazer parte das suas jornadas.


4. Qual o maior desafio que encontraste no TheVagar e como o ultrapassaste?

Não me considero propriamente uma produtora de conteúdo e muito menos uma escritora. Simplesmente escrevo. Faço-o em freestyle, para partilhar os meus pensamentos, dividir o meu conhecimento, expandir a minha criatividade, praticar a disciplina e a consistência e porque me dá realmente prazer. Para o TheVagar, tive que começar a trabalhar a técnica na escrita e isso tem sido desafiante. Por um lado, tentar que as palavras saiam de forma fluída e harmoniosa e, por outro, ter em consideração SEO, estratégias de copywriting, storytelling e outras. Tenho trabalhado em conjunto com a Marta e a Adriana: apostamos em formações, discutimos muitas ideias, analisamos muitos casos de estudo, adotamos uma postura de aprendizagem, partilha e melhoria constantes. É um trabalho de equipa.


5. Como avalias a relação que foste estabelecendo com a Marta e o André, bem como a restante equipa TheVagar?

Dada a nossa história e que neste lugar trabalha uma família de amigos, tem sido muito gratificante. Sempre admirei muito a Marta e o André, quer enquanto profissionais, quer enquanto seres humanos. Então, o respeito, a compreensão, a tolerância e o apoio estão sempre presentes. Nem sempre estamos de acordo, mas, mesmo com visões diferentes, conseguimos extrair o melhor da opinião de cada um, seguir confiantes que todos estão confortáveis com as decisões tomadas e que estamos a fazer um trabalho competente. Em prol de um Turismo de qualidade, sempre!


6. De que forma te permitiu, o TheVagar, crescer enquanto profissional?

Creio que de todas as formas. O meu trabalho no TheVagar vai muito além da escrita. Como se costuma dizer: os Profissionais de Turismo sabem um pouco de tudo e não são especialistas em coisa nenhuma. Pois eu digo que no TheVagar, a maioria de nós é especialista em Turismo e, por isso, sabe muito sobre tudo. Então, abordamos, juntos, todos os temas. Desde a estratégia de marketing, às decisões operacionais, às escolhas de decoração, às tendências do mercado, às parcerias a estabelecer, etc., etc., etc. Aqui temos abertura para partilhar opiniões, experiências e conhecimentos. E aprendemos sempre muito uns com os outros. Expandimos. Crescemos.


7. Na tua opinião, qual a importância do conteúdo escrito para o sucesso de um negócio turístico?

Está mais do que comprovado que o conteúdo converte, essencialmente porque vivemos na era da influência. Já ninguém compra sem visitar um site, uma plataforma de opinião ou perguntar a um familiar ou amigo se ouviu falar na empresa, no produto ou no profissional X. Assim sendo, é preciso ter uma estratégia de marketing muito bem definida e consolidada, baseada, acima de tudo, num conceito que chegue ao coração das pessoas. Honesto e consistente. Mas isso não chega. É preciso comunicá-lo, a plenos pulmões, ao mundo.


8. Todos os criativos têm uma assinatura própria que fica impressa no seu trabalho. Onde podemos ver a tua no conteúdo escrito do TheVagar?

Simples, prática e objetiva. É assim a minha escrita no TheVagar, tal como tudo o que faço.


9. Mais do que parceira TheVagar, consideras-te cliente TheVagar?

Como costumo dizer: gosto mais, mas muito mais, de trabalhar para quem faz Turismo, do que de fazer Turismo. Mas, sim, claro que já me conquistou. O seu conceito e a sua envolvente são mágicos demais para lhe conseguirmos ficar indiferentes.


10. Conta-nos a maior peripécia que aconteceu na escrita para o TheVagar e que queiras partilhar connosco.

Apesar de ir beber sempre muita informação ao espaço, à equipa e, em especial, à cabeça da Marta, escrever é um trabalho, na sua essência, solitário. No canto da minha secretária, não há muitas peripécias a acontecer, mas posso contar que, apesar de todo o nosso histórico, no início, foi desafiante adaptar-me à sede de fazer acontecer da Marta. Ela é uma empreendedora de mão cheia e, às vezes, o mais difícil é conseguir “pôr-lhe os pés no chão”. Sempre foi assim e digo-o com orgulho. Ouvi-la a sonhar enche-me o coração, faz brilhar os meus olhos e continuar a acreditar que é possível. Mas ela não sonha só. Faz acontecer. Em conjunto com o André, formam uma equipa corajosa, poderosa e inspiradora. Neste contexto, é muito fácil acharmos que estamos aquém, mas é preciso ter a coragem de contrapormos respeitosamente. Felizmente, gostam e estão sempre abertos às opiniões, percebem que há cedências que têm que ser feitas e contam com as suas Pessoas para os ajudarem a fazer acontecer no mundo real. E tudo flui. Juntos, fazemos acontecer. Todos os dias. TheVagar.



Obrigada Cátia! Sem ti, o TheVagar não seria tão romântico!