top of page
  • Foto do escritorCátia Rodrigues

Mergulhe num retiro na natureza

Já ouviu falar de retiros na natureza, mas não sabe bem do que se trata? É amante da prática e quer vir experimentar um connosco? Saiba tudo o que precisa, nesta entrevista que levámos a cabo com a grande especialista no assunto, Marion Geray. Ela é apaixonada por caminhadas, pessoas e Qigong [1]. Depois de viver e trabalhar em cinco países, acrescenta agora um sexto ao seu “portfólio Wanderlust“: Portugal. Todos os dias fica impressionada com o calor e a paciência do povo português, pelos quais é muito grata.





1. O que é exatamente um retiro?

MG: Nesta experiência, à medida que mergulhamos no mundo que nos rodeia, contemplamos novas perspetivas, em sintonia com o momento, e entramos na simplicidade. Desconectamo-nos das nossas rotinas diárias e até mesmo do nosso hardware (só por obrigação). Alimentação local saudável e fresca, água de nascente, ar puro, natureza rodeada de montanhas e sem poluição sonora, estão sempre presentes. Um programa diário bem equilibrado guiará o participante ao longo do dia, incluindo uma soneca após o almoço. É hora de refletir, mas também de aproveitar o momento, rodeado de pessoas adoráveis.


2. Como surge a ideia de fazer retiros na natureza?

MG: As caminhadas sempre tiveram um papel fundamental nas minhas atividades de lazer, ao longo da minha vida. O espírito de aventura e curiosidade têm sido companheiros regulares. Ao longo da minha carreira profissional, certifiquei-me como European Walk Lead e Business & Life Coach. Finalmente, juntei todas as minhas competências essenciais e paixões numa viagem única que incorpora os três E`s: Experiência, Energia, Equilíbrio. Nasceu a Walksperia (walk: caminhar + speria: vivenciar). Além disso, quero também criar um impacto positivo no desenvolvimento sustentável e lento das viagens em Portugal.


3. O que procuram as pessoas que fazem retiros e até que ponto/ de que forma é que isso lhes é entregue?

MG: As caminhadas saudáveis ​​da Walksperia liberam forças desconhecidas para estimular o corpo, a mente e a alma. Os nossos clientes poderão explorar e experimentar coisas novas num novo ambiente. Um programa equilibrado de atividades e fases de descanso permitem, aos nossos clientes, refletir e fazer uma pausa. Eles podem levar as novas aprendizagens para casa, na sua mochila, e matricularem-se num curso de Qigong, na sua cidade natal. Todos os nossos clientes, até agora, partilharam connosco que partiram com o coração cheio de calor e contentamento.


4. O que significa ser uma pessoa espiritualizada?

MG: Uma pessoa espiritualizada é alguém que embarcou numa jornada de crescimento pessoal e espiritual. Pode seguir uma religião específica, ou tradição filosófica, ou uma abordagem individualizada à sua prática espiritual. Pode participar de diversas atividades, como meditação, atenção plena, Qigong ou caminhadas. Algumas características comuns de uma pessoa espiritualizada incluem:

  • Consciência interior (senso de autoconsciência, emocional e pessoal);

  • Valores e ética (compaixão, gentileza, honestidade e integridade);

  • Atenção plena e presença (pratica estar totalmente presente no momento; cultiva um senso de atenção plena e a capacidade de apreciar a beleza da vida quotidiana).

É importante observar que a espiritualidade pode ser uma experiência profundamente pessoal e subjetiva, e o caminho pode variar muito de pessoa para pessoa. É uma jornada de crescimento, autodescoberta e transformação para toda a vida.


5. Os retiros são só para quem acredita em religiões, dogmas ou energias?

MG: Acreditamos em nós mesmos, no efeito positivo da natureza na cura e acreditamos que fazer exercícios na natureza é o melhor que se pode oferecer ao corpo e à mente. No entanto, o Qigong que praticamos é originário da China e é uma parte importante da Medicina Tradicional Chinesa (MTC). Durante a nossa prática de Qigong, ativamos o nosso Qi (falado: tschi). Não é preciso acreditar em religiões, dogmas ou energias para fazer um retiro. Apenas acreditar em si próprio e no benefício de ser exposto a novas experiências.


6. Parece que os retiros são realizados em câmara lenta. É verdade ou há uma pequena revolução a acontecer em cada um dos participantes?

MG: Nos nossos retiros, cada participante responde de forma individual. Alguns começam com meditação e autorreflexão sobre o seu status quo, os seus valores e as suas metas. Outros organizam as ideias para encontrar clareza e paz de espírito. Alguns ficam profundamente impressionados com a paz e a tranquilidade da envolvente e das conversas profundas que vamos conduzindo. Depende principalmente de quão longe o participante está na sua jornada de crescimento pessoal. E da sua abertura e curiosidade para explorar mais.


7. Para ter sucesso, quais as condições ideais de um retiro?

MG: Os principais fatores de sucesso são o serviço de alimentação e bebidas, um programa bem equilibrado, alojamentos minimalistas, pessoas calorosas e flexíveis e um serviço de excelência por parte do organizador.


8. O que a levou a escolher a Serra da Esperança e o TheVagar como um dos espaços de eleição para a realização dos seus retiros?

MG: Considero que Portugal é um destino turístico popular e familiar e o interior praticamente desconhecido abraça o cenário natural mais deslumbrante que se possa imaginar. Foi isso que me incentivou a criar a Walksperia – caminhadas guiadas de saúde - pela magnificência natural de Portugal. Há lá coisa melhor do que aliviar o stress, melhorar a saúde e curtir o campo? Nada! O TheVagar é o lugar perfeito para se desconectar e se reconectar com o que mais importa, sem barreiras entre pessoas e natureza.


9. A realidade do que encontrou neste espaço, correspondeu à sua expectativa?

MG: A Marta, o André e os seus dois adoráveis filhos, bem como a Boneca, a cadelinha, fizeram-me sentir em casa e calorosamente recebida, desde o primeiro dia, no seu espaço. Toda a equipa é amável e muito profissional. O meu grupo-alvo é constituído principalmente por pessoas oriundas de cidades urbanas da Europa, altamente exigentes e habituadas a serviços premium e de excelência. Foi isso que eu descobri aqui. Não consigo pensar em nenhum parceiro mais adequado do que o TheVagar e o seu pessoal. Todos temos a mesma visão de como tratar as pessoas e como desenvolver viagens sustentáveis ​​na natureza.


10. Deixe-nos quatro sugestões do que podemos fazer para sentir os resultados da realização de um retiro, no nosso dia-a-dia.

MG:

  1. Crie espaço para autorreflexão (com acompanhamento de um coach, caso necessário)

  2. Aprenda algo novo: caminhadas saudáveis ​​e Qigong!

  3. Experimente o impacto positivo de estar na natureza e

  4. Promova a paz de espírito e o alinhamento entre o corpo e a mente.



[1] Com base na medicina, filosofia e artes marciais chinesas, o Qigong é uma combinação de movimentos suaves, boa postura e respiração. Envolve fortalecer, fazer alongamentos e também meditar.

Comments


bottom of page